sábado, 22 de abril de 2017

Perfil: Charles Harris, DE - Missouri



Draft não é uma ciência exata, todos que acessam com frequência este local sabem disso. Nem sempre a escolha certa é a mais óbvia. Vez por outra o correto é escolher um jogador não esperado, mas que que enquadra ao planos da equipe do que um melhor prospecto que venha obrigar mudanças no vestiário e estilo de jogo. Seria o caso com Harris? Não sei ao certo, mas entre um DE um LB é mais do que óbvio que o ideal seria escolher a segunda posição. Mas vai entender o que se passa na cabeça dos responsáveis pelo draft...

VISÃO GERAL

Harris demorou para se dedicar ao football, só jogando no início do High School. Seu atletismo lhe rendeu uma bolsa de estudos. Como reserva, Harris teve quatro tackles for loss e dois sacks. Sua temporada de breakout veio em 2015, conseguindo figurar na segunda-equipe da SEC,  ao conseguir liderar a conferência com 18,5 tfl e 7 sacks. Treinadores votaram nele outra vez para a segunda-equipe SEC em 2016 ( 12 tfl e 9 sacks ), apesar da campanha ruim de sua equipe ( 4-8 ).

ANÁLISE
  • Pontos Positivos - Pernas longas, quadris móvel e com grande rapidez lateral, o que o torna um desafio bloqueá-lo. Joga em ambos os lados da linha e pode jogar com uma mão no chão ou em pé. Utiliza a velocidade precoce no poder para criar movimento antes de atacar o ombro interno do tackle. 
  • Pontos Fracos - As mãos precisam melhorar para atuar na NFL. Passeios em blocos em vez de shucks-los. Precisa melhorar contra o jogo corrido. Produtividade caiu depois de uma troca de esquema defensivo, o que pode complicar ainda mais sua vida na mudança para NFL.
  • Comparável na NFL - Connor Barwin
  • Resumo - Atleta de alto nível contra o passe, mas apenas mediano contra às corridas. Ironicamente, Harris pode jogar na borda em 4-3 ou 3-4, podendo até mesmo atuar como LB, precisando neste caso de uma transição quase que perfeita.

Nenhum comentário: